Enivaldo defende liberdade de crítica

Compartilhe
ENIVALDO é líder do governo na Assembleia / Foto: Ellen Campanharo.

“A democracia pressupõe o direito daqueles que pensam diferente de manifestar sua posição”. A liberdade de manifestação dos deputados foi defendida em plenário pelo líder do governo, deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), durante a sessão ordinária desta quarta-feira (21). Enivaldo também destacou a importância da harmonia e da independência entre os Poderes, ressaltando que nenhum deles está isento de receber críticas, inclusive o próprio Parlamento.

“Os parlamentares lutaram muito nesse país para ter o direito de defender a sociedade. Tivemos, no Congresso Nacional, parlamentares que foram cassados ao descer da tribuna do plenário. A luta foi muito grande para restabelecer o direito de crítica. Nenhum poder está isento de receber crítica, até porque todos os poderes que dependem de recursos públicos são obrigados a conviver com críticas e fiscalização. E isso não justifica nenhuma ação para calar ou assustar parlamentares”, defendeu o líder.

Em seu discurso, Enivaldo ainda pediu que o procurador-geral de Justiça, Eder Pontes, reconsidere a decisão de acionar o Tribunal de Justiça (TJES) para cobrar do deputado Sergio Majeski (PSB) explicações com relação a críticas feitas por ele sobre projeto recentemente aprovado na Casa. A matéria permitiu a criação de mais de 300 cargos comissionados para o Ministério Público do Espírito Santo.

“Eu quero pedir que o procurador-geral de Justiça pense melhor sobre sua atitude e retire essa proposta de ação. Não se pode impedir que um parlamentar exerça o seu mandado”, defendeu.