Suspeito de roubo a Correios e casa lotérica em Mucurici é preso Minas Gerais

Compartilhe

Um dos suspeitos de envolvimento nos roubos de uma agência dos Correios e de uma casa lotérica em Mucurici, norte do Espírito Santo, foi preso menos de 12 horas após o crime, em uma rápida ação conjunta da equipe da Delegacia de Polícia de Montanha e Polícia Militar de Mucurici, com o apoio de outras equipes.

Foto: Assessoria de impressa Polícia Civil

Gabriel Souto da Silva, 21 anos, foi localizado em Nanuque, Minas Gerais, por volta das nove horas da noite de ontem (13). Levantamentos da Delegacia de Montanha apontam que ele faz parte do grupo de criminosos que atacaram a agência dos Correios e a Casa Lotérica de Mucurici, na manhã de ontem.

Foram roubados aproximadamente sete mil reais, três telefones celulares, um monitor e um aparelho DVR. Os criminosos amarraram um funcionário dos Correios e agrediram clientes da Casa Lotérica. Após a ação violenta, fugiram em direção a Minas Gerais. Um cerco foi realizado, mas os suspeitos conseguiram escapar.

“Imediatamente, nossa equipe iniciou as investigações. Coletamos imagens de videomonitoramento, depoimentos, descobrimos que três pessoas estão envolvidas no crime, e chegamos à identidade de um dos suspeitos. Descobrimos que ele tinha fugido para Nanuque, em Minas Gerais. Os policiais capixabas contaram com o apoio da Polícia Militar de Minas, realizaram buscas e conseguiram prendê-lo”, explicou o titular da Delegacia de Polícia de Montanha, delegado Leonardo Ávila.

Com Gabriel, os policiais recuperaram parte do dinheiro roubado. Em depoimento, o suspeito confessou a participação nos crimes. Ele foi autuado em flagrante por roubo majorado, e encaminhado ao Sistema Prisional. As investigações continuam em andamento com objetivo de identificar os demais autores. 
 
A Polícia conta com a colaboração da população e qualquer contribuição pode ser feita por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas. O anonimato é garantido e todas as informações são investigadas.

Fonte: Assessoria de imprensa da polícia civil