Ofertas falsas na internet fazem vítimas no Espírito Santo

Compartilhe

“Achei uma oferta interessante e, por impulso, cliquei. Logo depois fui fazer uma busca sobre o CNPJ da empresa, percebi que era um boleto falso e não concluí a operação. Depois de uns 10 dias, comecei a receber SMS do cartão de crédito dizendo que tinha uma compra aprovada de anúncios de veiculação na minha rede social”, contou.

A vítima conseguiu tirar o cartão que estava cadastrado na rede social, mas já tinha tomado um prejuízo. “Duas cópias de 25 dólares pra impulsionar anúncios na internet. Eles acabaram impulsionando, a gente não sabe se alguma pessoa clicou ou não. Acho que no meu caso não foi um valor muito grande porque agi rápido”, disse.

O delegado responsável por investigar esses casos, Brenno Andrade, explicou que no fim do ano esses casos tendem a aumentar, por causa das compras de fim de ano e do recebimento do 13º salário: criminosos simulam sites conhecidos e mudam pouca coisa. Isso acaba passando despercebido.

“Eles fazem de uma forma semelhante a uma grande rede varejista. A pessoa às vezes, naquela ânsia de fazer a compra e com o site perfeito, uma cópia igual e exata ao site original, ela não percebe, acha que o preço está muito bom, associa esse preço a uma suposta promoção natalina, desconto de black friday, e acaba efetuando a compra. Geralmente é paga com boleto bancário ou transferência de dinheiro. Eu sempre alerto as pessoas para o cuidado com o boleto bancário. Verificar se quando você digitar o destinatário, é de fato o beneficiário, o mesmo que está no boleto. O boleto é um caso complicado porque depois que você paga o valor ao destinatário, esse valor não pode ser mais restituído”, disse.

O delegado ainda lembra que tem que ter muita atenção em links divulgados em redes sociais. Se não é confiável, é melhor nem clicar.

“Só de clicar tem o risco, porque muitos desses cliques que você faz pode gerar algum tipo de vírus no computador. Assim que ele for instalado, pode abrir a porta do seu dispositivo para os criminosos”, disse.

Quatro passos para não cair em golpes:

  1. Conferir a URL – aquele endereço que fica no topo da página da internet. Veja se o nome da loja está correto, se não tem letra a mais;
  2. Consultar a promoção e a loja em um mecanismo de busca;
  3. Se for pagar por boleto bancário, conferir se o destinatário é mesmo a loja correspondente;
  4. Não clicar em links suspeitos, só de clicar pode ser instalado um vírus no seu computador capaz de roubar os dados e usar em outras compras.