Workshop discute procedimentos para inserção do egresso no mercado de trabalho

Compartilhe
A PALESTRANTE convidada foi a psicóloga, conselheira do Cedimes, membro do Conselho Regional de Psicologia e mulher trans, Júlia Pires.

 

O enfrentamento à violência contra as mulheres trans foi tema de palestra realizada nesta terça-feira (03), no auditório do Palácio da Fonte Grande, no Centro de Vitória. A iniciativa foi promovida pela Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), por meio da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres e da Gerência de Diversidade Sexual e Gênero, em parceria com o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher do Espírito Santo (Cedimes) e o Conselho Estadual LGBT+ES.

A secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, esteve presente e destacou a importância de dar visibilidade a esta pauta. “A gente discute muito a questão da mulher, a questão da mulher negra, mas ainda são poucos os espaços para discutirmos a questão da violência contra as mulheres trans. Aproveito então para parabenizar a Subsecretaria de Políticas para as Mulheres e a Gerência de Diversidade Sexual e Gênero por terem trazido para a programação da campanha dos ‘16 Dias ES’ um evento para tratar um tema tão importante como este”, ressaltou.

A palestrante convidada foi a psicóloga, conselheira do Cedimes, membro do Conselho Regional de Psicologia e mulher trans, Júlia Pires. Na oportunidade, ela apresentou um estudo de caso na perspectiva da psicologia social em torno da violência doméstica relacionada às mulheres transexuais.

Segundo Júlia, o desafio ligado à problemática da inclusão das mulheres trans nos núcleos de atendimento voltados para a mulher em situação de violência é um reflexo do olhar social sobre a mulher transexual. “Promover a garantia do uso do nome social e suas atribuições nas escolas, universidades, delegacias, unidades de saúde e espaços públicos, bem como nos atendimentos, independente das especificidades, é resgatar a dignidade, estimulando a busca, a permanência, viabilizando meios e produzindo atendimento com inclusão e respeito”, ponderou a psicóloga.

Edineia Oliveira, da Gerência de Igualdade Racial da SEDH, que participou da palestra, afirmou que a iniciativa é uma oportunidade de aprendizado. “Proporcionar momentos como este é uma oportunidade de aprimorar conhecimentos e entender um pouco mais da pauta. Realmente não dá para falar de direitos da mulher sem inserir as mulheres trans. Para as mulheres negras é difícil, mas sabemos que para as mulheres trans as situações são ainda mais graves”, ponderou a servidora.

A iniciativa fez parte da campanha dos “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” da SEDH, que segue até o dia 09 de dezembro, com diversas atividades. Confira abaixo a programação.

Programação

04/12 – Movimento Laço Branco (com João Sana)

Horário: a definir

Local: ArcelorMittal Tubarão

Realização: ArcelorMittal Tubarão e SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres)

05/12 – Ato Cultural em unidade prisional

Local: Unidade Prisional de Bubu, Cariacica

Horário: 09h

Realização: Sejus; SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres)

05/12 – Ato Cultural com meninas em medida socioeducativa

Local: Unidade Feminina de Internação, Cariacica

Horário: 14h

Realização: Iases; SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres)

06/12 – Intervenção Laço Branco – Homens pelo fim da violência contra as mulheres

Horário: 09h

Local: DER-ES, Ilha de Santa Maria, Vitória

Realização: DER-ES; SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres)

06/12 – Cine Laço Branco (com Alessandro Darós)

Horário: 15h

Local: Auditório do Banestes, Centro de Vitória

Realização: Seger (LagGES); SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres); Banestes

08/12 – Caminhada pelo fim da violência – Mulheres do Brasil

Horário: das 08h às 10h

Local: Praia de Camburi

Realização: Grupo Mulheres do Brasil

Apoio: SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres) e Sesport

09/12 – Mulheres em situação de rua nos #16DiasES

Horário: 17h

Local: Centro de Vitória

Realização: SEDH (Subsecretaria de Políticas para as Mulheres e Coordenação de Políticas para Pessoas em Situação de Rua) e CREAS-Centro