Ambientalistas encontram 25 tartarugas mortas por semana em Vitória

Compartilhe

“Nós temos uma fiscalização e uma parceria com a Polícia Militar Ambiental, Polícia Federal e Capitania dos Portos e estamos sempre na água para fazer essas operações de apreensão de redes e pescadores que estão nesse local”, explicou Barbosa.

Um grupo de ambientalistas que atua na Grande Vitória disse que chega a encontrar de 20 a 25 tartarugas mortas por semana.

O ambientalista Rafael Braga é de um projeto ambiental que faz trabalhos de limpeza no litoral. Ele contou que muitas dessas tartarugas são encontradas mortas nos locais onde é proibido colocar redes de pesca.

“A quantidade de tartarugas que a gente encontra presas a essas redes é um volume gigantesco. De três anos para cá, que a gente intensificou essa área de combate, e a gente encontra em torno de 25 tartarugas mortas por semana. Elas estão encalhadas nas praias ou presas em redes”, revelou Braga.

TARTARUGAS e arraias encontradas mortas em redes de pesca, em Vitória

As mortes das tartarugas acontecem porque, por ter pulmões e precisarem ir até a superfície para respirar, quando elas ficam agarradas em uma rede de pesca não conseguem subir e morrem afogadas.

Um grupo de praticantes de canoa havaiana encontraram animais mortos em uma rede de pesca. A rede estava armada entre as ilhas do Boi e do Frade. Tartarugas, peixes e até uma arraia ficaram presos na malha.

“Foi no final de uma aula, por volta de 7h, que a gente encontrou uma tartaruga boiando e a gente decidiu parar e voltar para tentar salvar, mas ela já estava morta”, contou o professor de canoa havaiana Victor Negrão.