Projeto de Teleflagrante da PCES será apresentado em Seminário Internacional

Compartilhe

O Projeto de Teleflagrante da PCES será exposto no 1º Seminário Internacional de Editores e Pesquisadores na Área de Segurança Pública (Seinter).

 

O Projeto Piloto da Central de Teleflagrante da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES) foi selecionado para ser exposto no 1º Seminário Internacional de Editores e Pesquisadores na Área de Segurança Pública (Seinter), realizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). O Seminário ocorrerá de forma híbrida (presencial e on-line), entre os dias 24 e 26 de novembro.

O Projeto de Teleflagrante da PCES será exposto no eixo-temático “Modernização e Inovação Tecnológica”. O trabalho foi submetido à avaliação de um comitê científico designado pela Secretaria de Gestão e Ensino em Segurança Pública do MJSP e concorreu com outros inscritos de todo o Brasil.

“É um orgulho ter nosso trabalho exibido na 1ª edição de um seminário internacional, realizado exclusivamente para profissionais integrantes do Sistema Único de Segurança Pública, editores e pesquisadores desta área. Esperamos contribuir para que inovações como esta, que está dando muito certo no Espírito Santo, sejam reproduzidas em outros estados”, disse o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

O Projeto Piloto da Central de Teleflagrante da Polícia Civil começou a operar em setembro e, na prática, possibilita o recebimento de ocorrências de forma remota, dando celeridade aos procedimentos e possíveis autuações de conduzidos.

A primeira fase foi implantada nas Delegacias Regionais de Aracruz e Guarapari que, juntas, atendem a nove municípios. As ocorrências das duas unidades passaram a ser despachadas por uma equipe formada por delegados e escrivães localizados na Central de Teleflagrante, instalada na Chefatura de Polícia.

No formato tradicional, seriam necessários 10 delegados para manter os atendimentos nas duas unidades. Com o Teleflagrante, o trabalho passou a ser realizado por cinco delegados, revezando em turnos. Em 30 dias, a Central de Teleflagrantes realizou 257 procedimentos, o que inclui registros de boletins, prisões em flagrante, apreensões de ilícitos e outros tipos de atendimento à população. A expansão do Projeto para outras Delegacias está em fase de estudo.

“O Teleflagrante permitirá implantação de plantões em regime de 24h em Delegacias Regionais que nunca operaram nessa atividade. Além disso, como ocorreu em outros estados, esse avanço tecnológico permitirá a melhor distribuição do efetivo policial. Com o remanejamento de mão de obra dos plantões para outras delegacias, ocorrerá a melhoria da qualificação das provas técnicas e o aumento na resolutividade de crimes e prisões qualificadas”, explicou o gerente de Operações Técnicas da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, delegado Jordano leite, que integra o grupo de trabalho que desenvolve do projeto.

Texto: Camila Ferreira