PMES recebe visita de cônsul japonês e apresenta ações de Polícia Comunitária

Compartilhe

O Comando Geral da Polícia Militar do Espírito Santo e a Diretoria de Direitos Humanos e Polícia Comunitária (DDHPC) receberam uma visita técnica da Comitiva do Consulado do Japão, na tarde dessa sexta-feira (11). O objetivo foi conhecer as ações práticas de Polícia Comunitária na região da Grande Vitória.

Nesta oportunidade, o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, por meio do cônsul encarregado de segurança Sr. Takemune Kawada, recebeu as boas vindas no gabinete do Comando Geral – no ato representado pelo coronel Ronaldo Mutz, subcomandante-geral da PMES. Estiveram presentes também o chefe do Estado-Maior Geral, coronel Marco Antonio de Souza Reis e o diretor adjunto da DDHPC, Maxwel Rezende Damaceno.

Durante a conversa, o coronel Mutz contextualizou sobre a história das polícias brasileiras, que apesar de terem quase dois séculos de existência são modernas em termos de atuação. Ele explicou que a polícia voltada para servir e proteger o cidadão surgiu a partir da criação da Constituição Federal, em 1988.

“Em tempos passados, o foco da PM era o criminoso e não o cidadão. Com o passar do tempo as Instituições foram se adaptando e mudaram a forma de prestar o serviço, especialmente com o advento da Polícia Comunitária e os Direitos Humanos. Isso foi um passo gigantesco em nossa evolução”, esclareceu.

Na realidade atual da PMES, o coronel Souza Reis revelou que a Instituição trabalha diariamente para solidificar a filosofia do policiamento mais próximo da comunidade.

“Nós enviamos cinco oficiais ao Japão para estudar o sistema Koban e implantar as suas práticas aqui em nosso estado. Além disso, buscamos investimentos voltados para essa seara através do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), fizemos aquisição de bases comunitárias móveis para servir como referência da PM nas localidades e também criamos a disciplina de Direitos Humanos e Polícia Comunitária no Curso de Formação de Soldados. A PMES busca vencer os desafios e tem a preocupação de projetar o futuro com base na relação polícia e cidadão”, declarou.

Por sua vez, o cônsul japonês Sr. Kawada, manifestou o grande desejo que tinha de conhecer a Polícia Militar e a capital do Espírito Santo. “Fico muito feliz em visitar o quartel e conhecer os serviços prestados pela PM. Quero sempre manter o contato para desenvolver as ações policiais aqui no Brasil e também no Japão”, opinou.

O subcomandante-geral agradeceu a visita, dizendo ser “muito enriquecedora e fundamental para estreitar os laços e servir como fonte de aprendizado”.

Visita às bases

O cônsul Takemune Kawada pôde conhecer na prática o atual formato da Polícia Comunitária da PMES e suas atividades operacionais por meio de visita à Base Comunitária Móvel da 1ª Cia/4º BPM, postada na praça do bairro Glória (Vila Velha) e à sede da 12ª Companhia Independente, situada no bairro Jardim Camburi (Vitória).

Além do contato com os policiais que trabalham no policiamento ostensivo e no Comando de Unidades Operacionais da PMES, o cônsul manteve contato com lideranças e comerciantes, podendo atestar como as ações de policiamento desenvolvidas são recepcionadas pelas comunidades.

Conforme declarou o Sr. Aloisio Silva, vice-presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública com Cidadania de Jardim Camburi (Conseg/JC), o qual participou da recepção na sede da12 Cia Independente: “É uma honra para o Conseg de Jardim Camburi poder contatar o cônsul japonês e expor nosso orgulho de sermos parceiros da Polícia Militar na construção de saídas alternativas e criativas para os problemas que surgem no bairro. Estamos em sintonia pela busca de maior sensação de segurança para os moradores de Jardim Camburi”.

No município de Vila Velha, junto à base comunitária do bairro da Glória, o cônsul pôde interagir com as pessoas, ouvindo os depoimentos de moradores sobre a atuação policial na região.

Para a pedagoga Neide Félix Moreira “é primordial a presença da Polícia Militar nessa localidade, pois inibe a ocorrência de assaltos e traz mais segurança”.

Já para a lojista Solange Vieira é gratificante ver a interação dos policiais militares com as crianças : “o grande diferencial da PM aqui do estado são os projetos sociais, como o Proerd, por exemplo, um programa que aproxima muito as crianças da polícia através da educação. Já estamos acostumados com esse tratamento, nos sentimos acolhidos”, opinou.

Parceria Brasil-Japão

A cooperação entre o Brasil e o Japão no fomento da filosofia de Polícia Comunitária vem estreitando os laços há duas décadas. O intercâmbio entre os países propiciou adaptações no modelo de policiamento comunitário realizado no Espírito Santo, quando em visita técnica realizada pelos oficiais da PMES para ter contato com o modelo de policiamento comunitário japonês, o sistema Koban.

Os policiais japoneses também visitaram diversas iniciativas de Polícia Comunitária brasileira, como em 2015, quando uma comitiva da Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA) esteve no Espírito Santo, conhecendo os projetos de Polícia Comunitária da PMES e participando de seminário sobre a temática.